.posts recentes

. Carência

. Vida

. Lascas...

. Poeira agitada

. Silêncio

. Passarinho

. Cair, se ferir, levantar

. Deve ser

. Inspiração

. Areia

.arquivos

. Agosto 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

Quarta-feira, 12 de Agosto de 2009

Carência

Careço de atenção,

Careço d carinho,

Careço de observação

Careço de ninho.

Careço de chão,

de beijos

De charme,
De paixão,
De atitude,
De tesão.
Careço de olhares,
Da atenção a tudo que eu gosto,
Da opinião até do cheiro,
Do carinho no cangote.
Sou carente, exageradamente,
Sou apaixonada, sou intensa.
Sou dramática, sou calor,
Sou tudo sou poema.
Preciso da segurança,
Sentir braços, mãos,
Sentir pele, sentir amor,
Sentir também toda a mudança.

 

 


publicado por fitasdecetim às 13:59

link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

Vida

Entre sonhos e realidade, 

Vivo eu a caminhar.

Não sei se alguém me enxerga,

se o faz, não sinto o "olhar".

De que importa ser vista,

Nesse sonho que eu vivo.

É mistura do real,

com o que há de mais bonito.

Muitas vezes estou só,

Pareço ser um ponto cego,

Ando e ouço minha voz,

ecoando em um deserto.

 

 


publicado por fitasdecetim às 03:17

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2009

Lascas...

 

Queria muito ter lascas de grafite bruto em minhas mãos e com elas,
rabiscar livremente as imagens e figuras que vagueiam na mente em momentos como este.
Não tenho firmeza nos pulsos, os rabiscos nãos seriam tão precisos, mas o sentimento também não é.
Dispenso a aquarela. Não há cores nas tormentas que balançam o meu coração.
Há uma tempestade em preto e branco, com mares revoltos que respingam em meus olhos o sal do desespero.
Não há um desenho ordinário e
Sequer consigo ver o contrário das coisas tão duras que me abatem e desconheço.
São forças íntimas, esmagadoras, ocultas sempre!
De longe reveladoras...
Estou só. Procuro conforto em travesseiros imaginários e colos imaculados.
Eu peço perdão pela ausência de fé, já acreditando ser ela a única a me deixar de pé.
Eu choro por dentro, as lágrimas vem sem alento.
Eu agüento o tentar todos os dias em vão.
Arrasto correntes, não é tão novo o meu presente,

Eu preciso enxergar o que cega o meu coração!

sinto-me: so tired...

publicado por fitasdecetim às 13:55

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Poeira agitada

Um passo,outros passos,

Caminhada.

Lá atras, poeira agitada...

 

Segue o rumo,

Anda! Para frente!

Parado não encontrarás nada...

Caminhando serás contente.


publicado por fitasdecetim às 02:40

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Silêncio

 

Se eu pudesse eu sumia no sopro do mundo,
Entrava no vazio profundo,
Que existe nesse silêncio, aqui,
Na minha alma...
 
Esse silêncio vive aqui e me chama,
Abraço então a quietude que clama,
Por um momento de equilíbrio total.
 
Piso firme nas chamas da estrada,
Elas ardem, verdadeiras fornalhas,
De obstáculos, desafios, torpor.
 
Cuidadosa e zeloza dou eu os meus passos,
Vibro com o descompasso
Coração de tambor...
 
Imagino ser ele, o silêncio,
a minha  brisa.
Entrando porta a dentro,
Inundando minha vida.
 
Sou um navio meio à tempestade,
Fecho as comportas do meu corpo e alma,
Ignoro o mar e toda a sua majestade,
Navego em silêncio, já não arde, acalma...
 
 

publicado por fitasdecetim às 16:05

link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

Passarinho

 

Havia um passarinho no ninho,

Esperando sua mãe sabiá,

Ficava ali sempre quietinho,

A espera de sua mãe para se alimentar.

 

Passarinho cresceu,

Precisava voar,

Não quis suas asas bater,  sozinho.

Pediu sua mãe pra lhe ensinar.

 

Voa voa passarinho!

Voa voa  meu querido!

Tão mimado passarinho,

Não quis crescer, caiu ferido...

 

 

publicado por fitasdecetim às 13:16

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 2 de Novembro de 2008

Cair, se ferir, levantar

 

Eu caio e ralo o joelho,
Choro de desespero,
Eu me sujo e toco o tambor.
 
Eu quebro os copos no espelho,
Me corto e faço desejos de amor e de dor.
 
Eu rogo a Nossa Senhora, que no fim da história,
Não exista  de certo ainda o fim.
 
Eu canto, eu suspiro lá fora,
Eu imagino o som da viola,
Ou quem sabe, o coelho na  cartola,
Pra salvar o meu dia ruim...
 
Eu tenho os olhos borrados,
A pele riscada,
O cabelo embolado...
 
Eu tenho o desejo embutido,
De nunca ter caído,
De não se machucar.
 
Ouçam bem meus amigos,
Meus ombros não estão caídos,
Pois bem eu sei o meu lema:
Cair, se ferir, levantar.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

publicado por fitasdecetim às 20:48

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Deve ser

 

Deve ser muito bom voar por aí
com nossas próprias asas além da imaginação.
 
Deve ser muito bom ser livre pra agir,
Pra pensar, pra sentir,
Sem ter corvos a nos coagir.
 
Deve ser muito bom viver
Sem ter que ter obrigações,
Sem dar espaço pra paixões
Que não vão acrescentar nada, só doer.
 
Deve ser muito bom ser feliz de verdade,
Também ter a tristeza, mas, a felicidade,
Ser intensa em nossa realidade.
 
Deve ser muito bom perdoar,
Com facilidade, não deixar
Que as mágoas da vida nos fechem o coração.
 
Deve ser muito bom se elevar,
Buscar Deus sempre em primeiro lugar,
Não esquecer nunca dessa busca,
Não guardar rancor, não guardar angústia.
 
Somos humanos, pecadores,
Somos caça e caçadores,
Somos vilões e os mocinhos,
Somos a rosa mas também os espinhos.
 
Contradição existe, que loucura que é viver!
Essa busca incessante, aumenta o querer,
Alimenta-me durante o caminho...
 
 
 
 
 
 
 
 
 

publicado por fitasdecetim às 02:32

link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

Inspiração

Inspiração foi embora.
Secou, sumiu na multidão
Inspiração vou te esperar.
Espera sarar o meu coração!
 

 

sinto-me:

publicado por fitasdecetim às 14:27

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 15 de Setembro de 2008

Areia

A areia constrói de uma forma muito frágil,

Ela desmorona facilmente,

Você tem que ser ágil.

 

A areia constrói os castelos mais lindos,

Mas sem estrutura, sem base,

Só lembramos quando caímos.

 

Não te quero então, areia.

Não construirei meus sonhos com você,

Procurarei bases sólidas,

Aquelas que sei que não me farão sofrer.

 


publicado por fitasdecetim às 02:42

link do post | comentar | favorito
|

.Marian?

.pesquisar

 

.Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds